Make your own free website on Tripod.com

O Silêncio da Serenidade!

A mente é assaltada pela dúvida!
O coração fica apertado por não saber mais como agir!
O corpo apresenta sintomas de dor!
Os problemas aumentam, a desarmonia se instala.

No desequilíbrio emocional está escondida a dor da não reação perante aos fatos da vida!
Acontecimentos inesperados, esperados?
Confundindo a si mesmo, confundindo o caminho que deve seguir ou permanecer.
Por alguns momentos, tenta buscar no externo a solução. Sim. Pode encontrar. Como? Observação. Observando os sinais que se apresentam. Observando a semente que plantou para agora ‘ter tal colheita’!

Como contornar uma situação de angústia e de alienação de si mesmo?
No Silêncio da Serenidade!

De nada serve lamentar, colocar-se no lugar de vítima, acusando as pessoas, o mundo! Mas sim, buscar em seu interior silenciosamente a resposta desejada.
A Alma e o Coração não mentem. É preciso sentir, é preciso ouvir, é preciso atender ao pedido de sua Alma!

Obviamente surgem momentos confusos, onde a distância de si mesmo torna-se homérica. Vivendo num mundo de ilusão, num mundo criado por ele mesmo a mercê de suas vontades pessoais. E quando a realidade é outra e cai por terra um sonho desejado, transforma-se em pesadelo.
O pesadelo de deixar-se de lado.
Mergulhar tão a fundo numa situação, numa pessoa, num fato, que esquece a si mesmo.
O caminho da solidão é justamente este: estar ausente de si mesmo!

Na busca incessante por bens materiais, no ‘alimentar o ego’, acaba-se esquecendo do Silêncio da Serenidade!

A vida é muito mais do que atritos, dúvidas, medos. Na verdade, todos estes momentos transitórios são momentos de transmutações. Momentos de calar a voz que fala desesperada em busca de uma solução.
Momentos de reflexão, de aprendizado. Em cada dor está a cura. Em cada problema está a solução.

Momentos de ternura estão ausentes.
Momentos de aconchego, de entendimento. Tudo fica ausente quando o coração é consumido pelo ‘barulho da mente’ que não pára de falar e não consegue ouvir o Silêncio da Serenidade!

Sentir o momento. Sentir o problema em questão, mas... É preciso, é preciso deixar ir. É preciso entender que a única maneira de crescer pessoal e espiritualmente é quando se decide soltar a dor, a mágoa, a angústia.

Fases da vida! Tudo são fases. Constante aprendizado. Constante mutação. Constante busca por mais conhecimentos, uma interminável busca pelo aprimoramento espiritual, através da reforma interior.

Todo esse caminho é único para cada um. Cada um possui seu momento certo de Despertar!
Alguns são ‘sacudidos’ bruscamente, com perdas, com decepções: frutos de suas próprias ilusões.
Outros, de maneira mais branda conseguem entender as mensagens do Universo, da Vida.
Mas todos, sem exceção devem ir a fundo no Silêncio da Serenidade!
Não vale a pena lamentar, acusar, desistir. O Ser Superior, que conhece as ‘loucuras humanas’ não desiste do ser humano. Quem somos nós para tal fazer? Desistir de alguém, ou de nós mesmos?

Solte-se! Relaxe! Respire fundo e ouça somente... O Silêncio da Serenidade! E sua mente que até então era turva, ficará límpida.
Seu coração apertado, ficará leve!
Seu corpo que reclamava irá se harmonizar!
Os problemas se dissolverão, ou diminuirão, pois enfim, você estará em você novamente. Facilitando assim a ação do Universo a seu favor!


Muito obrigada.
Um Beijo,
Gênice Suavi
.

Voltar